quinta-feira, dezembro 18, 2008

Férias de Natal

Sabe tão bem estas férias natalícias...imagino k os meus caros blogueiros tb estão ansiosos por estas merecidas "vaciones",não?
Ppl até para o ano e em 2009 o Escreve o que quiseres regressará ainda melhor!
Enjoy,but with moderation :p
(Aqui fica o meu cartão de Natal...hehe)

quinta-feira, dezembro 11, 2008

I Love 80's

Assista on-line mais de 1000 videoclipes dos anos 80.

CLIQUE NESTE SITE, AUMENTE O VOLUME E CURTA MUITO!

http://www.80smusicvids.com/

quarta-feira, dezembro 10, 2008

"A minha próxima vida" by Woody Allen

Na minha próxima vida quero vivê-la de trás para a frente. Começar morto para despachar logo esse assunto. Depois acordar num lar de idosos e sentir-me melhor a cada dia que passa. Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a pensão e começar a trabalhar, receber logo um relógio de ouro no primeiro dia. Trabalhar 40 anos até ser novo o suficiente para gozar a reforma. Divertir-me, embebedar-me e ser de uma forma geral promíscuo, e depois estar pronto para o liceu. Em seguida a primária, fica-se criança e brinca-se. Não temos responsabilidades e ficamos um bébé até nascermos. Por fim, passamos 9 meses a flutuar num SPA de luxo com aquecimento central, serviço de quartos à descrição e um quarto maior de dia para dia e depois Voilá! Acaba como um orgasmo!

quarta-feira, novembro 26, 2008

quarta-feira, novembro 19, 2008

Anúncio da Diesel

Como se transforma um filme...lol

quinta-feira, novembro 13, 2008

Autocolante da moda no Brasil


Por cá (em Portugal) ninguém teria coragem de usar isto!

Este é um autocolante encontrado na maioria dos carros em Brasília e que está a ser disseminado por todo o Brasil.

quarta-feira, novembro 05, 2008

Site interessante

Um catálogo Holandês de venda pela Internet.
Abram o site e esperem um pouco.
Não mexam em nada...

http://producten.hema.nl/

quinta-feira, outubro 30, 2008

O Magalhães

- Tou??? Mariano Gago? É o Zé Sócrates. Oh, pá, ajuda-me aqui, porque o meu curso de informática foi tirado na Independente e o professor faltava muito.Estou a experimentar um destes novos computadores dos putos, o Magalhães, mas não consigo entrar na Internet! Estará fechada?

- Desculpa?....

- Aquilo fecha a que horas?

- Zé, meteste a Password?

- Sim! Quer dizer, copiei a da Maria de Lurdes.

- E não entra?

- Não, pá!

- Hmmm....deixa-me ver... qual é a Password dela?

- Cinco estrelinhas...

- Oh, Zé!....Bom, deixa lá agora isso, depois eu explico-te. E o resto, funciona?

- Também não consigo imprimir, pá! O computador diz: 'Cannot find printer'! Não percebo, pá, já levantei a impressora, pu-la mesmo em frente ao Monitor e o gajo sempre com a porra da mensagem, que não consegue encontrá-la, pá!

- Vamos tentar isto: desliga e torna a ligar e dá novamente ordem de impressão.

Sócrates desliga o telefone. Passados alguns minutos torna a ligar.

- Mariano, já posso dar a ordem de impressão?

- Olha lá, porque é que desligaste o telefone?

- Eh, pá! Foste tu que disseste, estás doido ou quê?

- Dá lá a ordem de impressão, a ver se desta vez resulta...

- Dou a ordem por escrito? É um despacho normal?

- Oh, Zé... Foooooodasss... Eh, pá! esquece.... Vamos fazer assim: clica no 'Start' e depois...

- Mais devagar, mais devagar, pá! Não sou o Bill Gates...

- Se calhar o melhor ainda é eu passar por aí... Olha lá, e já tentaste enviar um mail?

- Eu bem queria, pá! Mas tens de me ensinar a fazer aquele circulozinho em volta do 'a'.

- O circulozinho...pois.... Bom... vamos voltar a tentar aquilo da impressora. Faz assim: começas por fechar todas as janelas, Ok?

- Espera aí...

- Zé?...estás aí?

- Pronto, já fechei as janelas. Queres que corra os cortinados também?

- Fooodasss Zé.... Senta-te, OK? Estás a ver aquela cruzinha em cima, no lado direito?

- Não tenho cá cruzes no Gabinete, pá!...

- óóóóóóóóóóóóólha para a porra do monitor e vê se me consegues ao menos dizer isto: o que é que diz na parte debaixo do écran?

- Samsung.

- Eh, pá! Vai pró....ca

- Mariano?... Mariano?... 'Tá lá?... poooorrrrraaaa o que é que lhe deu?... Desligou....

quarta-feira, outubro 08, 2008

Quantum Of Solace

Aí está meus senhores o regresso do mais famoso Agente Secreto do Mundo!
Bond,James Bond.
Com estréia prevista para o dia 6 de novembro.E lá estarei eu na 1ª fila(bem na 1ª fila não porque fica muito perto da tela de cinema e fico com dor de cabeça,mas na quarta ou quinta fila),sendo eu um "Bondófilo"...lol.
007 IS BACK!

quarta-feira, setembro 24, 2008

O Regresso

O Escreve o que quiseres está de regresso!
Aqui vai um vídeo em que eu dou 50 euros a quem não rir...loooool :)))

quinta-feira, julho 17, 2008

Férias de Verão

Pois é caros blogueiros,as férias estão aí e como não poderia deixar de ser o Escreve o que quiseres também vai de férias.Boas férias para aqueles que vão também!
Ah e fiquem com o vídeo deste clássico que até os dias de hoje é um filme mítico sobre as férias,hehe!Fikem bem,enjoy ;)

quinta-feira, junho 26, 2008

Piada do dia

Esta é de antologia...

O miúdo vê um casal de cachorros montados um no outro,no meio da rua e pergunta à avó:
- O que eles estão a fazer,avó?
A avó prefere uma explicação provisória:
- É o seguinte,zequinha: como o cachorrinho de trás está com a patinha magoada,o cachorrinho da frente deixou ele se apoiar nas costas para andar.
E o zequinha,indignado:
- É sempre assim! A gente ajuda os outros e ainda é enrabado!

quarta-feira, junho 25, 2008

Ratatouille na Selecção?

Há duas coisas francamente extraordinárias neste video do blog da Selecção Nacional,Tudo Por Todos.Uma é o tom com que o chefe de cozinha da Selecção,Luis Lavrador,entrevista Petit,tom que é inquietantemente similar ao que um adulto põe na voz quando está a falar ou com uma criança,ou com um adulto com severos problemas a nível mental(temi que,a dada altura,o cozinheiro perguntasse ao futebolista,"então e diz-me lá, Petit,gostas mais do papá ou da mamã?")looool...mas realmente digna de nota é a ratazana negra que,aos 1'43'' de video,vemos lá atrás atravessando a cozinha por trás de umas caçarolas.

Rato ou cabeça de indivíduo?A minha análise mais detalhada é ainda inconclusiva.No entanto,vejamos o frame em que a silhueta negra surge:

Lá está:a coisa negra continua,ainda assim,a não me parecer uma cabeça humana,até porque parece estar do lado de cá da cozinha,surgindo por aquela janela,de trás das garrafas.Mas se alguém conseguir apresentar um estudo mais detalhado e convincente sobre esta temática,que avance,porque,para mim,este é claramente dos assuntos mais interessantes do Euro 2008.

quinta-feira, junho 19, 2008

The Happening


Depois do percalço de A Senhora da Água,filme bem intencionado,cheio de boas ideias e ultra-pessoal mas que resultou numa valente salganhada que lhe ia custando a carreira,M. Night Shyamalan voltou à boa forma:O Acontecimento tem a originalidade de ser uma espécie de filme-catástrofe zen.Nada de extraterrestres perversos destruindo monumentos num festival de raios laser e explosões,nada de grandes correrias pela vida,fugindo de ameaças velozes e vorazes; apenas seres humanos parando o que estão a fazer para,com uma calma e uma frieza maquinais,cometer assustadores suicídios.Como sempre,Shyamalan invoca o suspense à Hitchcock e segue as pisadas de Spielberg:da mesma forma que as idas à praia nunca mais foram as mesmas depois de Tubarão,os passeios no parque também são capazes de passar a gerar alguma desconfiança depois de The Happening.Este é um eco-thriller bem construído,com uma mensagem capaz de nos torturar algum tempo,fazendo-nos reflectir na possibilidade do referido acontecimento poder ser mais do que uma mera metáfora,e é também o filme em que,mais do que em qualquer outro do realizador,está instalado um ambiente de estranheza e de inquietante absurdo quase digno de sonho.E toda a sequência dentro da casa da idosa solitária,e a maneira como essa personagem se transforma,é de antologia...

A ver pela reacção dos críticos americanos(uma vez mais desancando uma obra de Shyamalan e voltando à ideia preguiçosa de que O Sexto Sentido é o melhor filme dele, o que me parece um exagero a partir do momento em que existe um Unbreakable,um passo em frente em imaginação e originalidade),o realizador dificilmente se conseguirá libertar do estigma de one hit wonder.Além disso,as piadas histéricas anti-crítico de cinema de A Senhora da Água dificilmente serão perdoadas.É pena,porque em The Happening está aquilo que nos fez ficar embasbacados quando tomámos conhecimento com o universo do realizador pela primeira vez.Só não há é um twist tão vincado mas,que diabo,somos todos crescidinhos e não precisamos que todas as fitas dependam de uma cambalhota final que nos faça bater palminhas...

quinta-feira, junho 05, 2008

A notícia mais esperada!


Bem,agora já não há mais desculpas...

quarta-feira, junho 04, 2008

Você sabe menos que um garoto de 10 anos?

O famoso comentador da TV,Marcelo Rebelo de Sousa,seguía a bordo de um avião,de Lisboa para o Porto.
O lugar a seu lado estava ocupado por um garoto de uns 10 anos,natural de Amarante,de óculos,com ar sério e compenetrado.
Assim que o avião descolou,o garoto abriu um livro,mas Marcelo Rebelode Sousa puxou conversa.

- Ouvi dizer que o voo parece mais curto se conversarmos com o passageiro do lado.Gostarias de conversar comigo?

O garoto fechou calmamente o livro e respondeu: - Talvez seja interessante.Qual o tema que gostaria de discutir?
- Ah, que tal política?Achas que devemos reeleger Sócrates ou dar uma oportunidade ao Meneses?

O garoto suspirou e replicou:
- Poderá ser um bom tema,mas,antes,gostaria de lhe colocar uma questão.

- Então manda! - encorajou o professor Marcelo.

- Os cavalos,as vacas e os cabritos comem a mesma coisa,certo?Pasto,ervas,rações. Concorda?

- Sim. - disse o professor.

- No entanto,os excrementos dos cabritos são umas bolinhas,as vacas largam placas de bosta e,os cavalos,umas bolas bem grandes... Qual é a razão para isto?

Marcelo Rebelo de Sousa pensou por alguns instantes,mas acabou por confessar que não sabia a resposta...
E o garoto concluiu:

- Então como é que o senhor se sente qualificado para discutir quem deve governar Portugal se não entende de "merda" nenhuma?

quinta-feira, maio 29, 2008

A lista das exigêcias das vedetas do Rock in Rio

Tenho à minha frente a lista das exigências das estrelas internacionais que vêm ao Rock in Rio e há coisas surpreendentes.



Uma delas é que,infelizmente,não podemos gozar com Bon Jovi - o homem tem a humildade de exigir apenas uma canja de galinha e comida sem glúten.Outra é que Amy Winehouse pode não exigir nada de particularmente excêntrico(quer,como seria de esperar,vinhaça - ela diz a marca e o ano de colheita desejados)mas deseja canecas de porcelana chinesa.Vai certamente acabar tudo em cacos,e não seria mal visto incluir água oxigenada e mercuriocromo no camarim da senhora(partindo do princípio que ela vem).

Os prémios "Do Que Tu Precisavas Era De Um Par De Estalos" :para os Tokyo Hotel,que pedem coisas que alimentam a nossa ânsia natural de gozar com eles:são uma banda rock que deseja "gomas com a forma de ursinhos".Penso que não vale a pena acrescentar nada mais sobre isto.E sim,eu ingiro gomas,mas,porra - são daquelas a sério,ácidas,que fazem tremer o olho direito.

Mais um prémio "Do Que Tu Precisavas Era De Um Par De Estalos" para Rod Stewart.Diz que quer no camarim 24 bolas de futebol.Tudo bem,se pudermos reunir um grupo de malta gira para as chutar na direcção dele,numa salinha pequena.

Coisas de vedetas...enfim...

quarta-feira, maio 28, 2008

Provérbio árabe

Uma vez um sábio árabe disse:
للأعيان وعدد أعبحت الشعببانية يتم ماعية و تعيينهمللأعياننواب حسب الدستور المعدل عام أصبحت إسبانيا دولة قانون إجتماعية!!! و ديمقراطية تحت نظام ملكي برلماني. الملك منصبه فخري و مقسم الى مجلسين واحد للأعيا وعدد أعضاء يبل عين و واحد للنواب و عدد “ نتائج الانتخابات نائب. نتائج الانتخابات الأخير مباشرة من أصبحت الشعبسنوات، “... بينما كل سنوات، بينما يعين عنتخاباتضو من مجلس الأعيان و ينتخب الباقون الشعب أيضاً. رئيس الوزراء و تعيينهم من قبل البرلمان اعتماداً على نتائج الانتخابات النيابية. أهم الأحزاب الإس أصمقسم الى مجلسين واحد للأعيان , وعدد الشعببانية يتم ماعية و تعيينهمللأعيان
Lindo né!?! Ah! Não te preocupes... Eu também quse que chorei !!!
Ainda mais na parte que diz
:´ أصبحت إسبانيا دولة قانون إجتماعية ديمقراطية تحت نظام ملكي برلماني. الملك منصبه فخري و رن و واحدئيس الوزراء هو الحاكم...Emocionante!

quinta-feira, maio 08, 2008

terça-feira, maio 06, 2008

Momento Único

Sente-se e disfrute de algo que você não vê todos os dias,3 grandes pianistas em palco a tocar ao mesmo tempo!
Ray Charles, Jerry Lee Lewis & Fats Domino!
São momentos que acontecem uma vez na vida...
Sit back and enjoy ;)

quinta-feira, abril 24, 2008

U23D


A minha teoria pessoal sobre os U2 - de quem já fui fã incondicional,há muitos anos - é que tiveram um orgasmo criativo de tal intensidade com Achtung Baby e Zooropa que tudo o que tem acontecido desde então é um longo período de cansaço e recuperação pós-orgasmo. Sim,eu acho que eles ainda estão caídos para o lado nesta altura e a cada disco mantenho a esperança de que os indivíduos recuperem o entusiasmo. Mas,lamento dizê-lo,para mim isso ainda não aconteceu.Os U2 actuais servem-me tanto como o Sting actual:são uma pálida imagem de glórias passadas,criam canções indiferenciadas e banais,estão placidamente encostados ao estatuto,gerindo a sua marca sem sobressaltos.Eu sei que isto vai provocar grande revolta por estas bandas,mas é o que eu sinto:os U2 de hoje são,infelizmente,uma seca.Lá pelo meio têm uns fogachos de inspiração(Vertigo,por exemplo,é um grande single),mas estão acomodados.Recordo com saudade os tempos em que se ousava fazer um Numb, um Daddy's Gonna Pay For Your Crashed Car... E nem é preciso ir tão longe: os tempos em que as baladas - como One ou So Cruel - pareciam sair do coração,das entranhas,e não de uma máquina.

O concerto que vemos em U23D é um concerto acomodado: previsível, mecânico, preguiçosamente andando aos restos de grandes concertos anteriores (as imagens de Martin Luther King durante Pride;as mensagens escritas à Zoo TV durante The Fly),quatro bons músicos despachando serviço com a competência que se lhes reconhece mas zero de inspiração e criatividade.A realização de Catherine Owens e Mark Pellington também não tem nada que aproxime U23D de filmes-concerto dignos de ser chamados de Cinema: este filme está longíssimo de coisas como Stop Making Sense dos Talking Heads e de Jonathan Demme,A Última Valsa dos The Band e de Martin Scorsese ou mesmo da anterior incursão dos U2 pelo cinema,Rattle and Hum,de Phil Joanou (que,ao contrário do que alguns críticos teimam em dizer,era um excelente rockumentário).A verdade é que, se retirarmos o efeito 3D a U23D teríamos um bem feitinho mas banal concerto filmado para TV,um daqueles que a RTP-2 passa às vezes nas tardes de fim-de-semana,para encher.

Dito isto, saúdem-se os verdadeiros mestres de U23D:a equipa técnica que assegurou o efeito tridimensional ao filme e que faz de uma conjunção de coisas banais,85 minutos de entretenimento divertido.Estão longe os tempos em que a 3D transformava pessoas em bonecos de papel recortado:neste filme há profundidade,volume e uma incrível atenção ao detalhe: nas cenas de multidão é particularmente espantoso que cada elemento do público pareça ter sido trabalhado individualmente (e acreditem que,naquele estádio, há muita gente).E é divertido andar pelo meio da banda e quase levar com um dedo de Bono num dos olhos. Tão divertido que U23D acaba por estimular os espectadores mais atrevidos a cantar as letras dos clássicos,despertando um certo espírito de comunidade na sala de cinema (recorde-se que,nos anos 80,quando Rattle and Hum estreou, havia fãs dos U2 a entrar no Tivoli munidos de cartazes e bandeiras,como se estivessem a entrar num estádio).

Qualquer um dos DVDs disponíveis no mercado com concertos dos U2 (nomeadamente os das digressões Zooropa e Popmart) é muito mais espectacular do que o concerto de U23D. E nem precisam do efeito 3D para isso. Mas para hora e meia de relaxado escapismo musical e tecnológico, U23D cumpre.

sexta-feira, abril 11, 2008

We Own The Night


We Own The Night -que em Portugal vai chamar-se Nós Controlamos a Noite -é um operático melodrama policial e familiar transpirando clássico por todos os poros.Mais: movendo-se em águas parecidas às de The Departed (Joaquin Phoenix é um homem dividido entre os dois lados da lei),o filme de James Gray (realizador de Little Odessa) consegue ser superior ao de Scorsese,que era bem bom embora não oferecendo surpresas de maior a quem conhecia os filmes orientais que o inspiraram (a saga Infernal Affairs).

We Own The Night é um dos filmes mais intensos,requintados,elegantes e brutais que Hollywood pariu nos últimos anos e Gray narra e filma a sua história com uma confiança,um estilo e uma sinceridade tal que até consegue fazer com que o uso da câmara lenta ainda pareça cool.A agreste noite nova-iorquina dos 80s está recriada com detalhe e a história,embora passada no submundo do crime,prefere dissertar de forma pungente sobre os laços de família do que abusar de tiroteios e sequências de acção(embora as haja,curtas,brutais e concentradas,com direito a um espantoso climax num campo de milho).A mim,fã devoto de dramas policiais de outros tempos,como Serpico,We Own the Night encheu-me as medidas.E o trio de actores principais(Joaquin Phoenix,Mark Wahlberg e o grande,grande Robert Duvall) merecia nomeações e prémios que nunca mais acabam...

quinta-feira, abril 03, 2008

Haka Barrosã

Se os neo-zelandeses vissem esta "performance" ficariam maravilhados...lol :))

terça-feira, abril 01, 2008

Dan In Real Life

Para mim, Dan in Real Life é um dos filmes mais aguardados do ano. Sou grande fã do argumentista e realizador Peter Hedges, cujos About a Boy e Pieces of April são delicados, divertidos e muitíssimo bem escritos pedaços de vida (na verdade, About a Boy começava já por ser muitíssimo bem escrito enquanto livro do Nick Hornby, mas o argumento de Hedges está uma rica adaptação). Uma das razões porque aguardo Dan in Real Life com tanta expectativa é também porque Steve Carell é o actor principal. E se há género que Carell faz bem é este tipo de comédia dramática de espírito indie (não é por acaso que há quem diga que Dan in Real Life é o Little Miss Sunshine deste ano).

Não fazia ideia é que, tal como Badly Drawn Boy fez em About a Boy e os Magnetic Fields em Pieces of April, Lerche tinha sido o cantautor escolhido para compôr um score de canções e pequenos instrumentais capazes de dar ao ambiente sonoro do filme uma identidade própria, muito consistente. Gosto quando isso acontece, mais do que quando se constrói uma banda sonora com base em cantigas previamente gravadas e que entram mais ou menos aleatoriamente na fita, a encher chouriços e a fazer a história andar, preguiçosamente, para a frente. Ainda não vi Dan in Real Life, mas pelo disco da banda sonora, parece-me que a função de Lerche é, de facto, a mesma de Damon Gough e de Stephin Merritt nos anteriores filmes escritos por Peter Hedges: fazer da banda sonora uma personagem.

Sondre Lerche é um grande escritor de canções, algures entre Elvis Costello, a-Ha e Burt Bacharach, e as músicas que assina para Dan in Real Life são uma delícia, como se pode ver por To Be Surprised, o tema principal do filme, que ele foi há tempos cantar ao programa do David Letterman.

sexta-feira, março 28, 2008

14 sites úteis

01.Quando for comprar qualquer coisa não deixe de consultar o site GastarPouco.
www.gastarpouco.com

02. Confira os melhores cruzeiros,datas, duração,preços, roteiros, etc.:
www.bestpricecruises.com/default.asp

03. Indexador de imagens do Google - captura tudo que é foto e filme de dentro de seu computador e os agrupa, como você desejar:
www.picasa.com

04. Semelhante ao Internet Explorer, porém muito mais rápido e eficiente, e lhe permite adicionar os botões que desejar, ou seja, manipulado como você o desejar:
www.mozilla.org.br/firefox

05. Site de procura, semelhante ao GOOGLE:
www.gurunet.com

06. Site que lhe permite fazer pesquisas dentro de livros:
www.a9.com

07. Site que o ajuda a conjugar verbos em 102 Idiomas:
www.verbix.com

08. Site de conversão de Unidades:
www.webcalc.com.br/convers%20%C3%B5es/area.html

09. Site para envio de e-mails pesados, acima de 50Mb:
www.dropload.com

10. Site para envio de e-mails pesados, sem limite de capacidade:
www.sendthisfile.com

11. Site que lhe permite falar e ver pela internet com outros computadores,ou LHE PERMITE FALAR DE SEU COMPUTADOR COM TELEFONES DA REDE FIXA E TELEMÓVEIS EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO, GRÁTIS!:
www.skype.com

12. Site que lhe permite ler jornais e revistas de todo o mundo.
www.indkx.com/index.htm

13. Site de câmaras virtuais, funcionando 24 h por dia ao redor do mundo:
www.earthcam.com

14.Site que lhe dá as horas em qualquer lugar do mundo:
www.timeticker.com/main.htm

quarta-feira, março 19, 2008

Jumper


À partida,as minhas expectativas para o filme Jumper eram tão arrasadoramente baixas que,talvez por isso,eu tenha achado o diacho da coisa até divertida,de uma maneira tão série B que,por vezes,chega a resvalar para outras séries de letras mais abaixo no alfabeto.O filme é dirigido por Doug Liman,um realizador que,depois de fazer duas brilhantes comédias indie nos anos 90, Swingers e Go (por tudo quanto é mais sagrado,não percam estes dois filmes!),decidiu deixar-se engolir por Hollywood e tornar-se tarefeiro anónimo de blockbusters,sendo o seu melhor dessa fase o primeiro filme da série Bourne,The Bourne Identity.

Jumper tinha tudo para não funcionar: uma premissa de vale-tudo,o pouco carismático Hayden Christensen no papel principal e Samuel L. Jackson com um look que faz lembrar Abel Xavier.Vá-se lá saber como,Doug Liman consegue pôr a maquineta a andar bem,a passo rápido e seguro (ele é,de facto,um bom realizador) e proporcionar uma rica hora e meia de diversão.Não no sentido Spielberguiano da palavra "diversão",mas mais no sentido Feira Popular.O que,de vez em quando,até nem sabe mal.

A mim parece-me que o que seduz em Jumper é aquele ovo de Colombo da idéia-base: toda a gente gostava de se teletransportar em segundos para qualquer lado. Acordar no Porto e dar uma saltada a Nova Iorque antes de ir para Viseu era uma coisa que me agradaria deveras. Portanto,Liman e o argumentista David S.Goyer,um dos criadores da saga Blade, limitam-se a pôr o espectador a salivar com esse bombom e depois não se esforçam mais,deixando a tarefa para os técnicos dos efeitos especiais (alguns dos efeitos mais catitas do ano,diga-se,com especial destaque para o autocarro londrino que vai parar ao deserto).

É parvo? É,sim senhor.E chega a ser abusiva a maneira quase televisiva,no sentido mais anos 80 / Glen A. Larson da palavra,como a história se desenrola.É imaginativo?Nem por isso,embora espicace a imaginação do espectador,que começa a pensar no jeito que lhe dava saltitar daquela maneira.É divertido?Lá isso é.E até pode dar azo a uma sequela engraçada.Mas alguém devia tentar apanhar o Hayden Christensen antes dele saltar para outras paragens e dar-lhe uma estalada,a ver se ele acorda.

quinta-feira, março 06, 2008

Juno


Uma vez mais, tenho de contestar directamente uma crítica que vem no Público desta semana. Diz o Vasco Câmara, "poucas vezes acontece durante a projecção de Juno sentir que os diálogos, aforismos e situações não são mais do que o instrumento de uma argumentista à procura da imortalidade com a great american quote".

E eu pergunto: e então? Não é legítima ambição de um argumentista que as suas palavras fiquem? Diablo Cody, que merece desde logo o Óscar de melhor nome de argumentista, é uma escriba que constrói diálogos como quem escreve letras de canções - o que é absolutamente adequado em Juno - e ter esse cuidado de ourives com a palavra não significa que, por isso, se esteja a ser calculista ou pouco espontâneo. Acho que, muito simplesmente, se está a ser bom. Acho que essa é uma ambição legítima e, neste caso, concretizada, que se há coisa que Juno é, é bom. Muito bom. Bem escrito, interpretado, dirigido com delicadeza por Jason Reitman (de quem eu já tinha gostado muito de Obrigado Por Fumar) e com essa coisa absolutamente contagiante que é perceber-se que quem fez o filme adora todas aquelas personagens e, das mais importantes às mais secundárias, a todas - e aos respectivos e extraordinários actores - dá a possibilidade de brilhar.

Ellen Page confirma, depois de Hard Candy, que é uma espécie de Natalie Portman vezes 1000; é bom reencontrar Michael Cera e Jason Bateman no mesmo filme depois da série Arrested Development; é bom também que, finalmente, alguém tenha dado um bom papel, em cinema, a Jennifer Garner.

Houve alguém, que dizia que, ao chamar a Juno "a comédia", eu estava a insultar coisas como os Monty Python. Calma. Juno é a comédia deste ano, e durante o tempo que dura, esta história de gravidez teen e de amores e desamores cruzados, ela consegue fazer com que o espectador sinta que está a ver a pequena história mais importante do mundo, e não é qualquer um que consegue tal proeza (lembro-me que, no ano passado, foi o extraordinário Little Miss Sunshine, com o qual Juno faz uma bela double feature sobre família e outros acidentes de percurso). E sim, é uma comédia, não é um drama. Uma comédia, hoje em dia, não é necessariamente uma máquina de cócegas - coisas como a série britânica Marion and Geoff ou momentos de The Office e Extras, de Ricky Gervais, provam que hoje em dia a comédia pode roçar a tristeza e a angústia sem deixar de ser comédia - e as cócegas que Juno faz são, acima de tudo, na inteligência. É um regalo de filme que, mesmo no combate taco-a-taco com os grandes Paul Thomas Anderson e os Coen, merece não sair, mais logo, de mãos a abanar.

E a banda sonora é daquelas para manter em repeat, em leitores de mp3 e CDs por esse mundo fora.

Um tónico, este filmezinho. Larguem lá o Rambo e vejam mas é isto, pá!

quarta-feira, fevereiro 27, 2008

And the winner is too...No Country For Old Men!!!


... é esta cena, que alguém fez o favor de deixar inteira no You Tube. Quem quer ser surpreendido na sala de cinema, deve evitá-la; quem não conseguir esperar deve vê-la (porque o filme está cheio de muitas outras cenas brilhantes e não é por verem esta que a experiência se estraga); quem já viu o filme - e/ou quem leu o livro de Cormac McCarthy - decerto concordará comigo... Isto é brilhante, e sobrevive a dois, três, dez, cem visionamentos. E, se tudo correr bem, daqui a anos ainda estaremos a citar frases daqui.

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

And the winner is...There Will Be Blood!!!


Os mais cépticos no que diz respeito a este filme de Paul Thomas Anderson apontam "o excesso de ambições" do realizador como obstáculo definitivo entre Haverá Sangue e o estatuto de obra-prima; contestam-lhe o fôlego épico roubado a filmes como O Gigante ou Citizen Kane. Para mim, não só Haverá Sangue é, de facto, uma obra-prima, como ainda por cima, na cena final, decisiva, esmagadora, não há centenas de figurantes nem gigantescas torres de petróleo a arder: há apenas dois homens numa sala de bowling caseira, como se, de repente, a experiência intensamente cinematográfica que There Will Be Blood é, se transformasse numa peça de teatro e tudo o que de grandioso que vimos durante as duas horas e meia anteriores só pudesse mesmo terminar com a simplicidade desarmante de uma conversa (violenta, há que dizê-lo) entre os dois monstruosos pecadores em confilto (o prospector de petróleo Daniel Plainview e o pregador Eli Sunday).

Como todo o bom "épico", Haverá Sangue não é sobre ostentação de meios ou pretensiosismo desmesurado; é sobre coisas que não requerem um grande orçamento para acertar em cheio no estômago do espectador e que não estão dependentes de todo o aparato (pelo contrário, fazem com que todo o aparato dependa delas). Haverá Sangue é, portanto, um arrasador estudo sobre a ambição, a obsessão, a total e completa falta de escrúpulos; é um choque entre monstros francamente mais terríveis do que aquele que arrasa com Nova Iorque em Cloverfield e é complexo o suficiente para que o espectador dê por si a torcer para que haja nem que seja um ténue fogacho de humanidade na personagem de Daniel Plainview. Se há ou não, isso é melhor ir descobrindo aos poucos. Lá que há sangue há...

E há interpretações daquelas de bater palmas no fim. Daniel Day Lewis, o tipo com a melhor gestão de carreira da História do Cinema (hiberna durante anos e, de repente, regressa transfigurado em personagens nunca antes tentadas) tem um papel tão extraordinário que agarra o espectador à cadeira durante as tais duas horas e tal com a sua simples presença; mas é injusto que pouca gente ande a dar o devido destaque a Paul Dano, no papel do jovem pregador sinistro que tenta tirar partido da exploração petrolífera de Plainview enquanto expulsa demónios dos corpos das gentes pacatas da sua aldeia. Eu já tinha achado Dano um actor incrível no papel do filho seguidor de Nietzsche em Little Miss Sunshine, mas nada faria prever que o seu ar de slacker pudesse explodir numa interpretação que se aguenta, taco-a-taco, sem nunca se deixar ofuscar, junto de um dos maiores e mais consagrados actores do mundo, o grande Day Lewis.

E nunca é demais louvar, uma vez mais, os méritos da sequência final. Há muito tempo que um final não me entusiasmava tanto, ao ponto de ficar com vontade de gritar ao projeccionista se não se importava de pôr outra vez, ó faz favor. É um show de interpretação, realização, montagem e escrita. E é, apesar (e talvez por causa) de todo o negrume que ali está, uma sequência deliciosamente irónica, a confirmar o talentoso Anderson como o grande autor americano da actualidade.

No fundo, o que ele faz não é mais do que reinventar o épico de época, assim como reinventou o ensemble movie anos 70 à Robert Altman com o genial Magnolia, e a comédia romântica clássica com Punch Drunk Love. O que chateia é se temos de esperar agora outra vez tanto tempo para uma fita nova do mestre Anderson, como esperámos desde Punch Drunk Love. Mas se sair outra destas, está desculpado :)

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

Feliz São Valentim!

Vai com um dia de atraso...mas aqui está um clip em homenagem a tds os "enamorados" ;)

quinta-feira, janeiro 31, 2008

Vai fumar na varanda,vai...

Com a nova lei do tabaco está sujeito a acontecer...

quarta-feira, janeiro 23, 2008

terça-feira, janeiro 22, 2008

Tropa de Elite



O Brasil está em guerra, há muitos anos,principalmente os grandes centros urbanos... A Guerra das Drogas acontece desde que os traficantes ganharam poder,financiados pelos idiotas,e construíram seu império nas favelas do Brasil.Mas se não fosse o tráfico,os bandidos estariam a assaltar,a sequestrar e a matar ainda em maior número...O que seria muito pior! E a sociedade estúpida,inclusive os protagonistas do filme,acha que basta reprimir o tráfico... Enquanto a sociedade não proporcionar uma opção melhor que a criminalidade,as guerras urbanas vão continuar a brutalizar os homens,e na guerra vale tudo!(tortura e morte)Como mostra o filme...
Tropa de Elite é um filme realista principalmente porque mostra o lado humano dos personagens,que têm medo,que sofrem de stress,de remorso.Também mostra o caos do poder público,a corrupção, os interesses políticos, a lei da selva de pedra (que são as grandes metrópoles).
Ao contrário dos filmezinhos americanos,Tropa de Elite não tem heróis.Na verdade,só tem bandido,qualquer ser humano numa guerra torna-se bandido.Por isso é que precisamos acabar com todas as guerras,antes que alguma venha derrubar a nossa porta.
Tropa de Elite é um filme violento - de ação, tensão e drama - mas que emociona e serve como mais um alerta (quantos serão necessários?)para que a sociedade acorde,para que a sociedade perceba que não basta ser contra a violência(não basta se vestir de branco e fazer passeatas...)é necessário que se ofereça oportunidades melhores que a criminalidade,é necessário que se ofereça outros valores que o dinheiro não pode comprar.
Vale a pena assistir,nem que seja para refletir.

quarta-feira, janeiro 16, 2008

Multas de trânsito

Se cometerem uma infracção grave ou muito grave ao Código da estrada..

NÃO PAGUEM VOLUNTÁRIAMENTE.
*Digam ao polícia - que vai insistir convosco para pagarem logo - que preferem o Depósito.
Alguns polícias mentem descaradamente ao dizerem que,se não pagarem,ficam sem os documentos.
'ISSO É MENTIRA'!!!!
Se vos retiram os documentos,têm de vos passar uma guia,que é obrigatória por lei.Terão depois 15 dias úteis para fazerem o que acharem melhor,mas ficam com tempo para decidirem o que querem fazer.

OPTEM SEMPRE PELO DEPÓSITO BANCÁRIO E NUNCA PELO PAGAMENTO VOLUNTÁRIO.
Quem paga fica,automaticamente,sem defesa.

PAGAR VOLUNTARIAMENTE É O MAIOR ERRO QUE SE PODE FAZER, SEJA EM QUE SITUAÇÃO FOR.
QUEM PAGA VOLUNTARIAMENTE FICA SEM POSSIBILIDADE ALGUMA DE SE DEFENDER,POR QUE A PARTIR DO INSTANTE EM QUE PAGA, ASSUME QUE É CULPADO.

Muitos condutores têm sido pressionados a pagar com a ameaça da polícia de que a multa aumenta,e de ficam sem documentos,etc.
'NÃO É VERDADE' mas ninguém pode impedir a Polícia de exagerar e de se aproveitar da situação de debilidade psicológica do condutor,no momento em que está a ser confrontado com a contra-ordenação.

Se optarem pelo Depósito e pela impugnação da contra-ordenação,obrigam os serviços administrativos da DGV e os Governos Civis a ficarem entulhados de processos para responder e dar seguimento.
Muitos desses processos vão prescrever.
Pode ser que o vosso também prescreva.Nunca deixem de apelar e de impugnar.
A CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA FORNECE-VOS ESSE DIREITO.USEM-NO.

Neste momento a DGV já está a rebentar pelas costuras,o sistema está à beira da ruptura.
DEPOSITAR E IMPUGNAR.

Este é o mote para o Código da Estrada mais absurdo de sempre.

Os milhões de euros que pagamos em coimas não são aplicados na melhoria das estradas, nem no aumento da segurança das mesmas.
- Para onde vai esse dinheiro?
- Há anos que os sucessivos governos se escusam a dar resposta a esta pergunta.

quinta-feira, janeiro 10, 2008

Shrek existiu!


Shrek existiu.E falava 14 idiomas.O personagem de desenho animado que é sucesso em todo mundo foi criado a partir de uma máscara mortuária do francês Maurice Tillet.
Poeta e ator,Tillet nasceu em 1903.Muito inteligente,falava 14 idiomas.
Na adolescência, contraiu uma doença rara,chamada acromegalia,que causa a desfiguração de partes do corpo.
A transformação para um quase 'monstro' não o abateu.Ele emigrou para os Estados Unidos e converteu-se num profissional da Luta Livre,com o nome de 'Assustador ogre do ringue'
.Lutou até quando pôde.Morreu em 1954,aos 51 anos,de um ataque cardíaco.
Pouco antes, seu parceiro de partidas de xadrez,Bobby Managain,pediu para fazer um lifecast (máscara mortuária) dele.Tillet concordou e Bobby fez cópias em gesso da cabeça do amigo.
Uma delas foi para o Museu internacional da Luta Livre,em Iowa.A outra foi parar no Hall of Fame do York Barbell Building para mostrar os primórdios das formas da luta livre moderna e do halterofilismo.Foi esta réplica que serviu de modelo para a construção de Shrek.

quarta-feira, janeiro 09, 2008

Cloverfield

J.J. Abrams deu hoje a conhecer ao mundo cinco minutos seguidos de Cloverfield,que não adiantam muito mais do que vimos já nos teasers,mas que reforçam a ideia de que pode estar aqui o monster movie definitivo e também um passo de gigante na utilização de efeitos especiais para efeitos inquietantemente realistas(a queda da cabeça da Estátua da Liberdade é qualquer coisa de sublime).
É interessante a forma como algumas destas imagens construídas para um blockbuster fantástico rimam tão perfeitamente com algumas das imagens reais que deram a volta ao mundo no 11 de Setembro (nomeadamente a nuvem de poeira que se segue ao desabamento do prédio e a fuga das pessoas para dentro de lojas).Cheira-me que esta malta formada na escola Lost vai dar muito que falar:já reinventaram a série televisiva de horário nobre e agora prometem reinventar o grande entretenimento cinematográfico.Estas imagens são boas demais para que Cloverfield seja só hype. Deve haver aqui mais qualquer coisa, e boa!