quinta-feira, junho 30, 2005

Espelho,espelho meu...

COMO DETECTAR UM ESPELHO VERDADEIRO E COMO DETECTAR UM FALSO, OU SEJA,UM ESPELHO DE DUAS DIRECÇÕES!

Em hotéis, pousadas, casas de banho públicas, lojas, etc., prestem atenção aos espelhos, podem estar a ser observadas e por sso, não custa nada fazer o teste abaixo indicado.

Serviço de Utilidade Pública em Prol da Integridade feminina: Não é para assustar, mas para alertar.Isto foi ensinado por uma mulher polícia.

Quando as mulheres vão às casas de banho, quartos de hotel, vestiários,ginásios, etc., quantas podem estar certas de ue o espelho, aparentemente comum, pendurado na parede é um espelho verdadeiro ou um espelho de duas direções? Daqueles em que você vê a sua imagem refletida, mas alguém pode estar a vê-la do outro lado do vidro, como os do Big Brother.

Tem havido muitos casos de pessoas que instalam espelhos de duas direções em locais frequentados por mulheres, para filmar, fotografar ou simplesmente ficar a olhar. É muito difícil identificar positivamente, o tipo de espelho, apenas olhando para ele. Então, como podemos determinar com precisão que tipo de espelho é o que estamos a ver?

É muito simples. Faça apenas este teste: Toque na superfície refletida com a ponta da unha. Se existir um ESPAÇO entre a sua unha e a imagem refletida, o espelho é GENUÍNO. O espaço é equivalente à espessura do vidro do espelho,pois a parte que reflete é a parte do FUNDO do vidro e não a parte da frente.

Entretanto, se a sua unha TOCA DIRECTAMENTE na imagem, NÃO havendo um espaço então CUIDADO COM ELE, POIS É UM ESPELHO DE DUAS DIREÇÕES. A parte que reflecte é a parte da frente, não a do fundo do vidro.

Então, lembre-se que, de cada vez que veja um espelho, faça o "teste da unha". Tem que haver um espaço! Caso não haja, aproveite e chame a polícia,pois trata-se de um crime previsto na lei.

segunda-feira, junho 27, 2005

De cagar a rir...

Quem já teve uma dor de barriga, sabe como é... esta é uma simples história que poderia ter acontecido contigo...
Aeroporto de Lisboa, 15h30m

Tenho um pequeno mal-estar causado por uma cólica intestinal, mas nada que uma urinada e uma cagada não aliviasse.Mas, atrasado para apanhar o autocarro que me levaria para o aeroporto, do outro lado da cidade, de onde partiria o voo para Estocolomo, resolvi segurar as pontas, "afinal de contas, são só uns 15 minutos de viagem. Chegando lá, tenho tempo de sobra para dar uma mija tranquilo".

O avião só sairia as 16h30m. Entrando no autocarro, sem sanitários, senti a primeira contracção e tomei consciência de que a minha gravidez fecal chegara ao nono mês e que faria um parto de cócoras assim que entrasse no wc do aeroporto. Virei-me para o meu amigo que me acompanhava e,subtilmente, disse-lhe:

"Fogo, mal posso esperar para chegar na merda do aeroporto porque preciso largar a farinheira."Nesse momento, senti o cagalhão a beliscar as minhas cuecas, mas pus a força de vontade a trabalhar e segurei a onda. O autocarro nem tinha começado a andar quando para meu desespero, uma voz disse pelo altifalante: "Senhoras e senhores, devido ao muito trânsito, a nossa viagem até ao aeroporto levará cerca de 1 hora".

Aí o cagalhão ficou maluco querendo sair a qualquer custo! Fiz um esforço hercúleo para segurar o comboio de merda que estava para chegar na estação anus a qualquer momento. Suava em bicas. O meu amigo percebeu e, como bom amigo que era, aproveitou para gozar comigo. O alívio provisório veio em forma de bolhas estomacais indicando que, pelo menos por enquanto, as coisas tinham-se acomodado por ali. Tentava-me distrair vendo a paisagem mas só conseguia pensar numa casa de banho, não numa igual à dos sanitários públicos,mas uma com uma sanita, tão branca e tão limpa que alguém poderia pôr o seu almoço nela. E o papel higiénico então: era branco e macio e com textura e perfume e...oops!

Senti um volume almofadado entre o meu traseiro e o assento do autocarro e percebi consternado que havia cagado. Um cocó sólido e comprido daqueles que dão orgulho de pai ao seu autor. Daqueles que dá vontade de ligar para os amigos e parentes e convidá-los a apreciar, na sanita, tão perfeita obra: daria até para a expor no CCB! Mas, sem dúvida, não neste caso.Olhei para o meu amigo, procurando um pouco de solidariedade, e confessei-lhe de modo muito sério: "Olha, caguei- me."

Quando o meu amigo parou de rir, uns cinco minutos depois, aconselhou-me a ficar no centro da cidade, escala que o autocarro faria pelo meio da viagem, e que me limpasse em algum lugar. Mas resolvi que ia seguir viagem, pois agora estava tudo sob controlo.

"Que se lixe, limpo-me no aeroporto," - pensei - "pior do que como estou não fico". Mal o autocarro entrou em movimento, a cólica recomeçou forte. Arregalei os olhos, segurei-me na cadeira, mas não pude evitar, e sem muita cerimónia ou anunciação, veio a segunda leva de merda. Desta vez como uma pasta morna. Foi merda para tudo que é lado, borrando, esquentando e lambuzando o cu, cuecas, barra da camisa, pernas, calças, meias e pés.

Logo a seguir, mais uma cólica anunciando mais merda, agora líquida, das que queimam o fofo do freguês ao sair rumo à liberdade. E, no instante seguinte, um peido tipo bufa, que eu nem tentei segurar... afinal de contas o que era um peidinho para quem já estava todo cagado. Já o peido seguinte foi do tipo que pesa e eu caguei-me pela quarta vez.

Lembrei-me de um amigo que, certa vez, estava com tanta caganeira que resolveu pôr um penso higiénico nas cuecas, mas colocou-o com as linhas adesivas viradas para cima e, quando quis tirá-lo, levou metade dos pêlos do rabo junto. Mas era tarde demais para tal artifício absorvente. Tinha menstruado tanta merda que nem uma bomba de cisterna poderia ajudar-me a limpar a sujeira.
Finalmente cheguei ao aeroporto e, saindo apressado com passos curtinhos,supliquei ao meu amigo que apanhasse a minha mala na bagageira do autocarro e a levasse aos sanitários do aeroporto para que eu pudesse trocar de roupas. Corri para a casa de banho e entrando de porta em porta, constatei a falta de papel higiénico em todas as cinco portas. Olhei para cima e blasfemei:
"Agora chega, Pá?!"
Entrei na última porta, mesmo sem papel, e tirei a roupa toda para analisar a minha situação (que conclui como sendo o fundo do poço) e esperar pela mala da salvação, com roupas limpinhas e cheirosas e com ela uma lufada de dignidade no meu dia. Entretanto, o meu amigo entrou na casa de banho cheio de pressa... já tinha feito o "check- in" e disse-me que tinha que ir depressa avisar o voo para esperarem por nós. Mandou por cima da porta o cartão de embarque e a minha maleta de mão e saiu antes de qualquer protesto de minha parte. Ele tinha-se enganado na mala que eu aguardava e já tinha despachado a mala com roupas.

Na mala de mão só tinha um pullover de lã com gola em bico. A temperatura em Lisboa nesta altura era de aproximadamente 37 graus. Desesperado, comecei a analisar quais das minhas roupas seriam, de algum modo, aproveitáveis. As minhas cuecas, mandei- as para o lixo. A camisa era história. As calças estavam deploráveis, assim como as minhas meias, que mudaram de cor tingidas pela merda. Aos meus sapatos dava-lhes nota 3, numa escala de 1 a 10. Teria que improvisar.
A invenção é filha da necessidade, então transformei uma simples casa de banho pública numa magnífica máquina de lavar.

Virei as calças do lado avesso, segurei-a pela barra, e mergulhei a parte atingida na água. Comecei a dar ao autoclismo até que o grosso da merda se desprendeu. Estava pronto para embarcar. Saí do banheiro e atravessei o aeroporto em direcção ao portão de embarque trajando sapatos sem meias, calças vestidas do avesso e molhadas da cintura até ao joelho (não exactamente limpas) e o pullover de gola em bico sem camisa.

Mas caminhava com a dignidade de um lorde.

Embarquei no avião, onde todos os passageiros estavam à espera do "rapaz que estava na casa de banho" e atravessei todo o corredor até ao meu assento ao lado do meu amigo que sorria. A hospedeira aproximou-se e perguntou-me se precisava de algo. Eu cheguei a pensar em pedir uma gilette para cortar os pulsos ou 130 toalhinhas perfumadas para disfarçar o cheiro de fossa transbordante, mas decidi não as pedir... e respondi-lhe com uma esforçada cara angélica:

"Nada, obrigado... eu só queria mesmo era esquecer este dia de MERDA!"

sexta-feira, junho 24, 2005

Como viver mais tempo

Minhas Amigas, não me voltem a chatear........... "Eu estou só preocupado com a minha saúde........".Amigos, força!

quinta-feira, junho 23, 2005

Vamos tomar um cafézinho?

Fica difícil...eu aqui e tu aí...por isso envio a máquina de café!

http://www.cartoline.it/pics/scherzi_150404_01.swf

quarta-feira, junho 22, 2005

"Esquadros"(by Adriana Calcanhoto)

EU ANDO PELO MUNDO PRESTANDO ATENÇÃO
EM CORES QUE EU NÃO SEI O NOME
CORES DE ALMODÓVAR
CORES DE FRIDA KAHLO, CORES
PASSEIO PELO ESCURO
EU PRESTO ATENÇÃO NO QUE MEU IRMÃO OUVE
E COMO UMA SEGUNDA PELE, UM CALO, UMA CASCA,
UMA CÁPSULA PROTETORA
EU QUERO CHEGAR ANTES
PRA SINALIZAR O ESTAR DE CADA COISA
FILTRAR SEUS GRAUS
EU ANDO PELO MUNDO DIVERTINDO GENTE
CHORANDO AO TELEFONE
E VENDO DOER A FOME NOS MENINOS QUE TÊM FOME

PELA JANELA DO QUARTO
PELA JANELA DO CARRO
PELA TELA, PELA JANELA
(QUEM É ELA, QUEM É ELA?)
EU VEJO TUDO ENQUADRADO
REMOTO CONTROLE

EU ANDO PELO MUNDO
E OS AUTOMÓVEIS CORREM PARA QUÊ?
AS CRIANÇAS CORREM PARA ONDE?
TRANSITO ENTRE DOIS LADOS DE UM LADO
EU GOSTO DE OPOSTOS
EXPONHO O MEU MODO, ME MOSTRO
EU CANTO PRA QUEM?

PELA JANELA DO QUARTO
PELA JANELA DO CARRO
PELA TELA, PELA JANELA
(QUEM É ELA, QUEM É ELA?)
EU VEJO TUDO ENQUADRADO
REMOTO CONTROLE

EU ANDO PELO MUNDO E MEUS AMIGOS, CADÊ?
MINHA ALEGRIA, MEU CANSAÇO?
MEU AMOR CADÊ VOCÊ?
EU ACORDEI
NÃO TEM NINGUÉM AO LADO

PELA JANELA DO QUARTO
PELA JANELA DO CARRO
PELA TELA, PELA JANELA
(QUEM É ELA, QUEM É ELA?)
EU VEJO TUDO ENQUADRADO
REMOTO CONTROLE

terça-feira, junho 21, 2005

Depois...

Convencemo-nos que a vida será melhor depois...
depois de acabar os estudos,
depois de arranjar trabalho,
depois de casarmos,
depois de termos um filho,
depois de termos outro filho.

Então, sentimo-nos frustrados porque os nossos filhos ainda não são suficientemente crescidos e julgamos que seremos mais felizes quando rescerem e deixarem de ser crianças.

Depois, desesperamos porque são adolescentes, insuportáveis.
Pensamos: "Seremos mais felizes quando esta fase acabar!"
Então, decidimos que a nossa vida estará completa quando o nosso companheiro ou companheira estiver realizado...
Quando tivermos um carro melhor...
Quando pudermos ir de férias...
Quando conseguirmos uma promoção...
Quando nos reformarmos...
A verdade é que

NÃO HÁ MELHOR MOMENTO PARA SER FELIZ DO QUE AGORA !

Se não for agora, então quando será?
A vida está cheia de depois... É melhor admiti-lo e decidir ser feliz agora, de todas as formas.
Não há um depois, nem um caminho para a felicidade, a felicidade é o caminho e é AGORA! Deixa de esperar até que acabes os estudos...
até que te apaixones...
até que encontres trabalho...
até que te cases...
até que tenhas filhos...
até que eles saiam de casa...
até que te divorcies...
até que percas esses 10kg...
até sexta-feira à noite ou Domingo de manhã...
até à Primavera, o Verão, o Outono ou o Inverno,
ou até que morras...
para decidires então que não há melhor momento do que justamente ESTE para seres feliz!
A felicidade é um trajecto, não um destino.
Trabalha como se precisasses de dinheiro...
AMA como se nunca te tivessem magoado
e dança como se ninguém estivesse a ver!

domingo, junho 19, 2005

Porky's - O Regresso

"Nas minhas visitas pelo mundo virtual,descobri que um dos grandes filmes da minha adolescência,irá regressar aos cinemas mas numa nova versão.Quem nunca viu Porky's???Só espero sinceramente que não defraude as minhas expectativas..."

sábado, junho 18, 2005

Jornalismo actual - Parte 2

"Palpita-me que este jornalista vai longe..."

quinta-feira, junho 16, 2005

Sin City

"Hell of a way to end a partnership..."
Sinopse:Sin City é uma cidade violenta onde a polícia é corrupta e as ruas mortíferas. Um lugar sombrio onde se desenrolam três histórias... Uma fala-nos de Marv, um homem feio e duro de roer, sedento de vingança. Outra, conta-nos a história de Dwight, o único tipo em quem as prostitutas da Cidade Velha podem confiar. Finalmente, chega-nos a história de John Hartigan- o último polícia honesto da cidade à beira da reforma. Hartigan tem uma derradeira missão...
Comentário:Boa adaptação da BD para o cinema,sente-se a atmosfera envolvente de Frank Miller nas cenas, sendo uma boa opção o filme à preto e branco com alguns "toques" coloridos em certos detalhes.Nota-se perfeitamente o dedo do "mestre" Tarantino,o modo puzzle que só ele sabe dirigir tão bem.

quarta-feira, junho 15, 2005

Jornalismo actual - Parte 1

Prémio "Jornalismo Isento, Imparcial e Iducado"

terça-feira, junho 14, 2005

quinta-feira, junho 09, 2005

Filme da semana

"Ai o carago!Carago não,carago!"

quarta-feira, junho 08, 2005

Quem sabe,sabe!

Um homem casado vai confessar-se:
- Padre eu quase pequei...
E o padre:
- Que quer dizer com "quase"?!?!?
- Encostei o meu...... na empregada... Mas, na hora eu não enfiei, eu parei. Por isso, foi "quase"!
- Encostar é a mesma coisa que enfiar... Você pecou, meu filho! Reze vinte ave-marias e colabore com 20 euros para as obras da igreja, que será perdoado!
O homem sai do confessionário, reza vinte ave-marias, tira uma nota de 20 euros da carteira e vai até à caixa de esmolas. Encosta a nota na fenda,mas recua e guarda o dinheiro de volta.
O Padre, que estava a observar, grita:
- Eu vi isso, pecador! Você não enfiou o dinheiro na caixa de donativos!!!
- Foi o senhor mesmo quem disse que encostar é a mesma coisa que enfiar!!!

terça-feira, junho 07, 2005

IRS...

O empresário chega a casa vira-se para a mulher e diz:
- Querida, recebi uma intimação das finanças a respeito do atraso da entrega da declaração do IRS! Achas que devo comparecer na repartição de jeans ou de fato e gravata?
- Bem, querido... Digo-te a mesma coisa que minha mãe me disse quando lhe perguntei se, na noite das nossas núpcias devia usar uma cuequinha de rendas ou uma cuequinha de seda.
- E o que foi que a tua mãe te disse?
- Tanto faz. Ele vai-te f**** na mesma!

sexta-feira, junho 03, 2005

quarta-feira, junho 01, 2005

O mais é nada (by Fernando Pessoa)

"Navegue, descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar, o lugar deles é lá.
Admire a lua, sonhe com ela, mas não queira trazê-la para a terra.
Curta o sol, se deixe acariciar por ele, mas lembre-se que o seu calor é para todos.
Sonhe com as estrelas, apenas sonhe, elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte, ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.
Não apare a chuva, ela quer cair e molhar muitos rostos, não pode molhar só o seu.
As lágrimas? Não as seque, elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso! Esse você deve segurar, não o deixe ir embora, agarre-o!
Quem você ama? Guarde dentro de um porta-jóias, tranque, perca a chave!Quem você ama é a maior jóia que você possui, a mais valiosa.
Não importa se a estação do ano muda, se o século vira e se o milênio é outro, se a idade aumenta; conserve a vontade de viver, pois não se chega a parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar e as portas também.Persiga um sonho, mas não o deixe viver sozinho.Alimente sua alma com amor, cure suas feridas com carinho.Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas. Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.Olhe para o lado, alguém precisa de você.Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.Agonize de dor por um amigo, só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.
Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa procura.Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!Se perceber que precisa seguir, siga!Se estiver tudo errado, comece novamente.Se estiver tudo certo, continue.Se sentir saudade, mate-a.Se perder um amor, não se perca!Se achá-lo, segure-o!"
"Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala. O mais é nada".